Viabilidade econômico-financeira em Parcerias Público-Privadas

A recente intensificação do envolvimento dos parceiros privados para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura em setores tradicionalmente geridos e controlados pelo Estado trouxe consigo a necessidade de maior aprofundamento em assuntos tipicamente bem dominados pelo setor privado. Um desses assuntos é o amplo conjunto de conhecimentos e técnicas de Estudos de Viabilidade Econômico-Financeira (EVEF), o que inclui assuntos derivados como valuation, avaliação econômica de imóveis, planos de negócios, entre muitos outros. Abordaremos o tema de forma geral aqui, mas neste blog você já encontra aprofundamentos pontuais em alguns dos tópicos abaixo, onde estão disponíveis links internos específicos.

De forma costumeira, a viabilidade econômico-financeira de uma parceria público-privada (PPP) se desenvolve em quatro etapas principais:

  1. Levantamento de investimentos, custos e despesas necessárias à prestação dos serviços;
  2. Identificação de gaps e oportunidades de melhorias operacionais pelo parceiro privado no sistema;
  3. Projeção de fluxos de caixa do sistema operado pelo parceiro privado para uma Taxa Interna de Retorno (TIR) predeterminada;
  4. São construídas análises de sensibilidade e cenários alternativos.

Além disso, a PPP só fará sentido para a sociedade se os benefícios coletivos entregues superarem os benefícios privados exigidos. Isso é chamado de Value for Money (valor social entregue pelo dinheiro público investido), e precisa ser demonstrado num estudo financeiro específico. Continue lendo “Viabilidade econômico-financeira em Parcerias Público-Privadas”

Índice Geral do Mercado Imobiliário Residencial (IGMI-R)

A necessidade de um indicador confiável para o nível de preços do mercado imobiliário residencial levou a ABECIP (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a lançar o IGMI-R. Este é o indicador mais confiável do setor por ser calculado com base nos laudos de imóveis financiados pelos bancos. O conceito é o mesmo do IGMI-C (Índice Geral de Preços Imobiliários – Comercial), lançado em 2011.

O IGMI-R usa metodologias adotadas por especialistas de mercado para fornecer o valor mais próximo possível da realidade para a transação do imóvel. As informações consideradas nos laudos de avaliação são mensuráveis e verificáveis, tais como localização, área privativa, características do entorno, padrão de acabamento, estado de conservação, número de dormitórios, etc. Continue lendo “Índice Geral do Mercado Imobiliário Residencial (IGMI-R)”