[e] Motivação

O conceito indica causas (motivos) que produzem um determinado comportamento. Possui três propriedades:

  • direção (objetivo do comportamento)
  • intensidade (magnitude da motivação)
  • permanência (duração da motivação)

A motivação é sempre específica, para um determinado objetivo. Estar motivado para alguma coisa não significa estar motivado de forma geral, incluindo outras.
Existem dois grandes grupos de teorias sobre motivação: as teorias de processo, que explicam o funcionamento de mecanismos da motivação, e as teorias de conteúdo, que explicam motivos específicos que fazem o ser humano agir. As principais teorias de processo são: Continue lendo “[e] Motivação”

O que é Gestão Arquitetônica

Mohammed Al-Harbi, Stephen Emmit e Peter Deminan definem, num dos trabalhos mais recentes sobre o assunto, a Gestão Arquitetônica (GA) como:

Gerenciamento estratégico da empresa de arquitetura que assegura a efetiva integração entre a gestão dos aspectos de negócios do escritório com seus projetos individuais, de forma a projetar e entregar o melhor valor a todas as partes interessadas.

O conceito não nasceu ontem. O termo gestão arquitetônica (architectural management) surgiu em 1964, como ação de fomento aos arquitetos no sentido de apreciarem e gerirem o lado empresarial da profissão. Desde então, apenas oito tentativas foram feitas de explicitamente definir o termo, cada uma delas propondo uma definição diferente como resultado da metodologia adotada. O resultado foi que diferentes pensamentos, escopos e funções incluídos sob o conceito de gestão arquitetônica.

Continue lendo “O que é Gestão Arquitetônica”

Segredos da alta performance, por Thiago Nunes

Hoje vou fugir um pouco das temáticas principais do blog, mas é por uma boa causa. O empresário Thiago Nunes fez um vídeo rápido nos corredores de um congresso em San Diego, na Califórnia, para relatar o resultado de estudos sobre a mente de atletas de alta performance, ensinamentos válidos ao nosso dia a dia.

Siga o link e aproveite.

Captura de Tela 2017-04-02 às 10.15.56.png

 

Livro “Introdução à administração do escritório de arquitetura” será atualizado

capa_intadmarq_v02

Olá meus amigos leitores!

Tenho grande satisfação em avisar que o livro Introdução à administração do escritório de arquitetura terá o texto atualizado nos próximos dias.

Como todos os livros vendidos estão em formato digital, significa que o seu exemplar será atualizado automaticamente, sem custo adicional.

Caso isso não ocorra, para receber a atualização você deve: Continue lendo “Livro “Introdução à administração do escritório de arquitetura” será atualizado”

Carta aos desempregados da era Lula-Dilma

São Paulo tinha, no início dos anos 1920, dois principais jornais que viviam de sua rivalidade dualista (já falamos sobre isso por aqui). De um lado, o Correio Paulistano era o porta-voz do conservador Partido Republicano Paulista (PRP). De outro, O Estado de São Paulo de Julio de Mesquita. Este último, apesar das rixas com o Correio, não representava seu total antagonismo – para ilustrar, relutou em prestar apoio aos rebeldes da Revolução de 1924. Tudo o que fez foi Continue lendo “Carta aos desempregados da era Lula-Dilma”

Motivação no escritório de arquitetura: introdução

O que motiva o ser humano para o trabalho não é o dinheiro. Podem ser espantosos os resultados de pesquisas sobre o assunto que são realizadas desde os anos 1950 até a atualidade. Não é incomum trabalhadores trocarem de emprego para ganhar menos, principalmente aqueles envolvidos com atividades cognitivas, como os arquitetos. Isso deixa muita gente confusa. Inúmeras pesquisas mostram que a motivação humana depende do ambiente em que a pessoa está inserida – se o ambiente muda, a motivação também muda.

Só há uma pessoa capaz de criar motivação: ela própria. O máximo que se pode fazer externamente é criar as condições para que seus potenciais embriões se desenvolvam, nada mais. Quando o ser humano define uma meta a ser perseguida, define também um determinado volume e intensidade de esforços a serem alocados nessa missão.

Continue lendo “Motivação no escritório de arquitetura: introdução”

Liderança no escritório de arquitetura: introdução

A figura do líder é elemento definidor da produtividade da equipe, decorrente da capacidade de uma única pessoa influenciar a todos melhorando os índices de atingimento de metas. Pode acontecer dessa pessoa não estar em nível hierárquico superior aos demais. A liderança é construída a partir da confiança, e esta se manifesta através de três caminhos: pela intimidação, pelo conhecimento ou pela identificação.

Continue lendo “Liderança no escritório de arquitetura: introdução”

Administração para arquitetos 1: introdução

O Brasil tem um arquiteto para cada 2.000 habitantes. Existem mais de duzentas escolas oferecendo cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo, onde estudam atualmente pelo menos 50.000 estudantes e se graduam cerca de 5.000 novos arquitetos a cada ano. Existem mais de 90.000 arquitetos para uma população de 180 milhões de habitantes. Essa relação não é muito diferente da média mundial: é, aproximadamente, a proporção de Irlanda, Finlândia, Suécia, Holanda, França, Grã-Bretanha. E temos menos arquitetos por habitante que Noruega, Suíça, Portugal, Bélgica, Grécia, Espanha, Itália e Alemanha. Da amostra apresentada, só teríamos mais arquitetos por habitante que a República Tcheca, Áustria e Polônia.

Se considerarmos ainda a maior necessidade de arquitetos que temos por déficit de área construída (por exemplo aquela devida ao déficit habitacional), isso nos levará a supor que os arquitetos brasileiros são mais demandados que em outros países e talvez melhor remunerados. Mas não é isso o que acontece, há outros problemas que não entraram nessa equação. Somos um dos piores países do mundo em distribuição de renda, nossa qualidade de educação é reduzida, temos problemas sociais mais profundos que muitos dos países citados. Além disso, nosso ensino de arquitetura precisa ser atualizado, há muitas faculdades de baixa qualidade formando arquitetos que na prática são apenas técnicos. Continue lendo “Administração para arquitetos 1: introdução”