Avaliação de bens singulares: metodologia (UPAV 2016)

Após apresentar dois estudos de caso (avaliação de um quadro de Picasso e da Casa dos Contos, em Ouro Preto – MG), Radegaz Nasser e Maria dos Anjos Ramos retornaram aos palcos para apresentar a metodologia de avaliação de bens singulares de patrimônio cultural. Apesar da ordem aparentemente inversa das apresentações, não houve prejuízo da compreensão do processo para quem acompanhou os três trabalhos durante o congresso UPAV 2016 no Rio de Janeiro.

O contexto não poderia ser mais oportuno: em todos os países os valores culturais estão sendo resgatados, e a fala de nossos colegas sul-americanos durante a exposição confirma este entendimento em nossa região do globo. A APAC no Rio, ações em Cuzco, Washington D.C., Cartagena de las Índias, Salvador e Bogotá (compra de uma fazenda na Carrera 7 – Usaquén) são exemplos inequívocos do crescente interesse no assunto. E existe um selo mundialmente reconhecido para bens patrimoniais: o selo da UNESCO.

selo da UNESCO

Continue lendo “Avaliação de bens singulares: metodologia (UPAV 2016)”

Avaliação de bens singulares: patrimônio histórico e cultural (UPAV 2016)

Já comentamos aqui sobre o trabalho do engenheiro Radegaz Nasser em avaliação de bens culturais. Durante o mesmo congresso UPAV 2016, ele fez no dia 21 de outubro outra apresentação sobre o tema, desta vez em parceria com uma referência mundial no assunto: a professora Maria dos Anjos Ramos (Portugal). Partiram de um estudo de caso de relevância para o contexto cultural brasileiro, a Casa dos Contos em Ouro Preto (MG) para demonstrar a metodologia avaliatória de bens singulares de importância cultural.

De forma distinta de bens comuns cujo valor cultural não seja saliente o suficiente para impactar o valor do imóvel, estes bens possuem particular importância para um povo, registram algum atributo fundamental de seus usos e costumes, suporte de uma identidade cultural que conecta indivíduos, agrupando-os. Portanto, o valor cultural do bem acrescenta valor de mercado ao avaliando. Continue lendo “Avaliação de bens singulares: patrimônio histórico e cultural (UPAV 2016)”

Avaliação de intangíveis por Radegaz Nasser: obra de Picasso (UPAV 2016)

O engenheiro Radegaz Nasser, referência na área de avaliação de imóveis e Certificado pelo Ibape nível AAA, trouxe um caso no mínimo curioso às telas da UPAV 2016 no Rio de Janeiro: a avaliação de um quadro de Pablo Picasso. Evidentemente que existe um valor intangível na obra de difícil caracterização, e o valor de transação variaria de acordo com o tipo de comprador. Só para citar dois complicadores, entre outros.

Curioso também é como o problema se colocou em suas mãos. Durante um curso de informática, no qual era treinado em planilhas eletrônicas, Radegaz recebeu os dados de diversas obras do artista para fazer exercícios simples como obter médias e montar gráficos. Mas dados tão mastigados, com tantas variáveis disponíveis são tentadoras a qualquer avaliador que ame o que faz. De posse dos valores obtidos em leilão para aquelas obras, fez uma avaliação que ninguém havia solicitado. Continue lendo “Avaliação de intangíveis por Radegaz Nasser: obra de Picasso (UPAV 2016)”

Da antiguidade do pós-moderno: o caso Carlitos

MV5BNDcwMDc0ODAzOF5BMl5BanBnXkFtZTgwNTY2OTI1MDE@._V1_UX214_CR0,0,214,317_AL_

Quando Charlie Chaplin colhia os primeiros frutos de seu personagem criado em segundos num camarim da Keystone, ainda no início do século 20, surgiram inúmeras cópias do inconfundível vagabundo do cinema. Após um processo judicial, Chaplin conseguiu garantir os direitos sobre seu personagem. Os autos tinham uma descrição detalhada do personagem incluindo um desenho que definia pormenores do figurino.

Até aqui, confirmamos o modernismo de Chaplin. Mas uma curiosidade nos traz as palavras de Baudrillard que, ao descrever o pós-modernismo de nossos dias, explica que hoje o mapa pode ser muito mais importante que o território por ele representado. Percebendo o alcance mundial e a popularização do Vagabundo, foram organizados vários concursos de sósias de Carlitos. Numa viagem a San Francisco, Chaplin Continue lendo “Da antiguidade do pós-moderno: o caso Carlitos”