[e] O que foi o movimento da administração científica?

Frederick Winslow Taylor, nome mais destacado deste movimento, ingressou na Midvale Steel em 1878, onde observou problemas das operações fabris (presentes em várias organizações até os dias de hoje), como: falta de divisão clara da divisão de responsabilidades da administração com o trabalhador; ausência de incentivos para melhorar o desempenho; trabalhadores não cumprindo com suas responsabilidades; decisões baseadas em intuição e palpite; falta de integração entre departamentos; operários despreparados para execução de tarefas exigidas; ignorância sobre os benefícios da excelência de desempenho, conflitos entre capatazes e empregados sobre o volume de produção.

A partir de suas observações, desenvolveu um sistema de administração de tarefas que mais tarde ficou conhecido como sistema Taylor, taylorismo e, depois, administração científica. O principal motivo do estudo dos tempos foi a busca da precisão para definir o valor dos salários. Posteriormente, percebeu-se seu valor intrínseco de permitir o aprimoramento do trabalho operacional através da racionalização de movimentos.
Na segunda fase do movimento, a ênfase se desloca da produtividade do trabalhador para o aprimoramento dos métodos de trabalho. Naquele momento, Taylor apresentou seus princípios da administração de uma empresa:

  1. Seleção e treinamento de pessoal
  2. Salários altos e custos baixos de produção
  3. Identificação da melhor maneira de executar tarefas
  4. Cooperação entre administração e trabalhadores

Continue lendo “[e] O que foi o movimento da administração científica?”

Mapa da Rede Metrô CPTM

Mapa da futura rede de Metrô de São Paulo?

 

Mapa da Rede Metrô CPTM
Mapa da Rede Metrô CPTM
Circulou pelas redes sociais, já faz algum tempo, este mapa de uma pretensa futura rede de transporte de alta capacidade para a capital paulista e arredores. Apesar de obviamente não ser um documento oficial (vide a cor da linha 19), seus autores parecem ter se baseado em informações internas do planejamento estadual. Algumas proposições têm se mostrado condizentes com o rumo que as companhias estatais estão tomando. Por exemplo, a Linha 6 – Brasilândia-São Joaquim – já está em obras (veja aqui a informação oficial) e outras propostas do mapa estão sendo anunciadas.

Porém, ele parece ser um pouco desatualizado em alguns detalhes. Por exemplo, a linha 15 foi chamada de Prata, e não Branca. Além disso, algumas propostas recentes, como a Linha 18 (São Paulo – ABC) e a Linha 20 (Lapa – Afonsina / São Bernardo do Campo) também foram omitidas.

Como ponto positivo para o usuário, as Linhas 6, 18 e 20 foram propostas como Continue lendo “Mapa da futura rede de Metrô de São Paulo?”

Movimento pelo teto de renda para pessoa física

por Ricardo Trevisan

Falar que nossa desigualdade de renda é elevada chega a ser um eufemismo. Segundo o segundo dados do último Relatório de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), entre 124 países para os quais há informações, o Brasil está na oitava pior colocação.

Desigualdade Social

Quer mais informações? A internet está cheia delas, mas o que não tenho visto são as propostas para solucionar o problema. Então eu lanço uma. O estabelecimento de um teto de rendimento mensal para pessoas físicas. O que passasse disso teria IR de 100% (sim, confisco mesmo). Este dinheiro poderia por exemplo servir para Continue lendo “Movimento pelo teto de renda para pessoa física”

Seminário Mobilidade e Transporte Sustentáveis

Apresento abaixo minhas impressões pessoais e anotações do seminário Mobilidade e Transporte Sustentáveis – Soluções Inovadoras para a Cidade, realizado pelo Grupo de Trabalho Mobilidade Urbana da Rede Nossa São Paulo em 01 de março de 2011 nas dependências do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo – SEESP com o tema Transporte sobre trilhos. A mesa foi composta por: Maurício Broinizi Pereira (GT Mobilidade Urbana – presidência da mesa), Edilson Reis (SEESP), Marcos Kassab (representando a presidência do Metrô); Marcos Kiyoto (arquiteto e consultor da TC Urbes), Manuel Xavier Lemos Filho (Federação Nacional dos Metroviários – FENAMETRO), Ailton Brasiliense Pires (diretoria de planejamento da CPTM e pertencente à ANTP), Epaminondas Duarte Junior (diretoria de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos – Metrô).

Maurício Broinizi Pereira abriu o seminário relatando o trabalho realizado no ano passado pelo GT de Mobilidade Urbana, os seminários realizados, e o produto obtido, um Continue lendo “Seminário Mobilidade e Transporte Sustentáveis”