Movimento pelo teto de renda para pessoa física


por Ricardo Trevisan

Falar que nossa desigualdade de renda é elevada chega a ser um eufemismo. Segundo o segundo dados do último Relatório de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), entre 124 países para os quais há informações, o Brasil está na oitava pior colocação.

Desigualdade Social

Quer mais informações? A internet está cheia delas, mas o que não tenho visto são as propostas para solucionar o problema. Então eu lanço uma. O estabelecimento de um teto de rendimento mensal para pessoas físicas. O que passasse disso teria IR de 100% (sim, confisco mesmo). Este dinheiro poderia por exemplo servir para cobrir a redução da carga tributária sobre a folha de pagamento. Geraria mais emprego e elevaria a renda do trabalhador assalariado.

Quando digo isso, algumas pessoas ficam inconformadas, falando de merecimento, equidade… Mas a solução é simples: numa desigualdade abissal como a brasileira, o teto não precisa ser baixo. Você não viveria bem com, digamos, 50.000 reais por mês? Pois há muitos brasileiros ganhando mais do que isso. Chega a ser obsceno nesta terra.

E o merecimento? Duvido que alguém mereça ganhar mais que 50.000 reais por mês num país onde algumas famílias comem terra. Literalmente.

Pense nisso. Junte-se à esta causa.

Esse post foi publicado em textos e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Movimento pelo teto de renda para pessoa física

  1. aylton disse:

    Porra meu, tô nessa! Nada mais justo!
    O que precisa ser feito é que TODOS OS RENDIMENTOS da pessoa física estejam incluídos nisso (rendimentos financeiros, salariais – se bem que esses raramente chegam nisso, a não ser jogador de futebol – rendimentos imobiliários, fundiários, lucros etc.).
    Seria uma mini-revolução, sem dúvida!
    (apenas um detalhe: por falar em jogador de futebol, isso significaria a saída de todos os jogadores mais ou menos que temos por aqui para fora – mas, também, foda-se!).

  2. ricardo trevisan disse:

    Estou vendo uma movimentação pelo Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF), previsto na Constituição de 1988. Vamos ver se agora vai…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s