A maior crítica à PPP: a barganha faustiniana

Um dos textos mais lúcidos que encontrei sobre este assunto foi o de Luis Felipe Vidal Arellano [1], e mesmo a este entendo que ainda cabem alguns comentários. O relato abaixo tem essa obra como referência primordial, complementada por comentários pessoais meus.

O que parece haver de interessante no mecanismo legal da PPP é a possibilidade de se mobilizar recursos privados para projetos de interesse da sociedade que demandem grandes montantes de investimento – características essas típicas de projetos de infraestrutura. Além disso, também parece haver potencial para maior eficiência econômica na prestação de serviços públicos via Lei 11.704/2009 (Lei de PPP).

Porém, a contrapartida disso é o risco à sustentabilidade fiscal dos entes públicos frente a contratos de longo prazo com compromissos financeiros constantes. Esse risco é identificado principalmente quanto à tendência dos concedentes utilizarem o mecanismo de PPP não pela recomendação econômica ou operacional, mas para “afastar os efeitos financeiros da contratação do orçamento público e do balanço patrimonial do governo” [1]. Essa tendência, conhecida como “barganha faustiniana” em referência à obra de Goethe, sacrificaria o longo prazo em prol dos benefícios de curto prazo. Continuar lendo

VBA™ para Excel™ 14: vetores e matrizes

(ver o anterior)

Finalmente chegamos ao nosso último post da série sobre VBA para Excel. Hoje falaremos sobre variáveis com mais de uma dimensão: vetores (composto linear de dados do mesmo tipo) e matrizes (composto bidimensional de dados do mesmo tipo). Um vetor é um conjunto de dados em sequência. O tamanho do vetor é o número de dados armazenados, e é definido da seguinte forma: Continuar lendo

VBA™ para Excel™ 13: trabalhando com várias planilhas

(ver o anterior)

As referências a outras planilhas pelo VBA são feitas diretamente pelo nome de cada planilha. O arquivo de Excel normalmente já vem com três planilhas: Plan1, Plan2 e Plan3 (veja as abas abaixo da planilha).

Conforme vimos antes, as referências de células são feitas em ordem invertida em relação ao Excel. Por exemplo, a célula C4 no excel é descrita na forma Coluna (C), depois a Linha (4). No VBA, a mesma célula é descrita apenas numericamente (Coluna é descrita como 3, ao invés de C), e na ordem Linha, depois Coluna. Portanto, no VBA, a célula C4 é descrita como:

Cells(4,3)

Quando a referência for feita em relação a uma célula que está em outra planilha, segue o seguinte formato: Continuar lendo

VBA™ para Excel™ 12: exemplos de funções, manipulação de strings

(ver o anterior)

Atendendo a pedidos, deixo aqui mais alguns exemplos de funções para Excel. Veja o post anterior sobre como escrever novas funções para o Excel.

O primeiro exemplo converte temperatura em graus Celsius (tempC) para graus Fahrenheit (tempF): Continuar lendo

VBA™ para Excel™ 11: como escrever novas funções para o Excel

(Ver o anterior)

Talvez você já tenha procurado por uma função do Excel e descoberto que ela não existe. Com o VBA é possível adicionar funções novas, específicas para nossas necessidades. Escrever uma função é parecido com escrever uma Sub (macro), e exige três partes: um cabeçalho com o nome da função e parâmetros; o corpo com as instruções; e o término.

O esquema básico é o seguinte:

Function <Nome da Função>(Parâmetro1 as <tipo>, Parâmetro2 as <tipo>) as <tipo>

<Corpo>

<Nome da Função> = <valor do retorno>

End Function Continuar lendo