Da meta de porte dos escritórios de arquitetura [e]

Toda empresa tem por objetivo crescer e se consolidar como organização de grande porte no longo prazo.”

Você acha que essa afirmativa é verdadeira para os escritórios de arquitetura?

Esse foi um dos aspectos investigados na pesquisa que citamos anteriormente por aqui. Esclareço desde já que este não era o objetivo principal da investigação – chegamos a essa questão nos perguntando o quanto os escritórios se segmentam (ou não) em seus mais diversos aspectos. Também já falamos um pouco sobre isso. E, sinceramente, não havia nenhum indício de que os arquitetos empreendedores, de forma geral, se opusessem à máxima acima. Mas… será mesmo? Continuar lendo Da meta de porte dos escritórios de arquitetura [e]

Qual é o seu assunto de interesse?

Olá!

De tempos em tempos eu costumo refazer essa pesquisa para entender melhor quem são os leitores deste blog e seus assuntos de interesse. Isso ajuda a criar textos que sejam mais úteis e interessantes a você.

Portanto, se puder responder unicamente à pergunta abaixo, me ajudaria muito!

Abraços a todos os leitores,

RT

Das atividades técnicas nos negócios da arquitetura [e]

Agora que já tratamos da diversidade de atuação em segmentos de mercado (veja aqui), o passo seguinte – e essencial – é falarmos das atividades técnicas desempenhadas pelos arquitetos e urbanistas nos escritórios [1]. Isso porque esses dados mostram de forma muito mais explícita a concentração de atividades técnicas em alguns poucos segmentos. Em outras palavras, nós arquitetos estamos nos debatendo em alguns nichos de mercado, o que tende a baixar os preços praticados e precarizar nossas condições de trabalho. Esses são os oceanos vermelhos.

Enquanto isso, outros nichos de mercado são ocupados por pouquíssimos arquitetos, que provavelmente fortalecem sua marca naqueles segmentos, trabalham com maior estabilidade de demanda e provavelmente podem praticar preços com markup positivo – ou seja, com retornos superiores ao seu custo de oportunidade financeiro. Isso não é pouco: grande parte dos escritórios de arquitetura estão hoje trabalhando com retornos negativos em relação ao seu custo de oportunidade, porque tomam por base apenas o retorno contábil ou o fluxo de caixa. Esses são os oceanos azuis.

Destaco aqui também que, até este ponto, eu só falei das atividades regulamentadas, ou seja, que a lei reconhece como sendo de atribuição do profissional de arquitetura e urbanismo (ainda que não seja exclusiva). Porém, nos dias atuais impera a inovação e novos negócios, principalmente aqueles que se fortalecem com as plataformas digitais. Apesar de já termos encontrado alguns escritórios (e outras empresas lideradas por arquitetos que não se intitulam como “escritórios de arquitetura”) tirando partido dessas possibilidades, a grande maioria parece não se mobilizar quanto ao modelo de negócios, insistindo em mecanismos ultrapassados de criação e entrega de valor ao cliente. Estas últimas também parecem ser as que mais sofrem para obter a remuneração mínima para sua viabilidade econômico-financeira. Continuar lendo Das atividades técnicas nos negócios da arquitetura [e]

Da diversidade dos escritórios de arquitetura [e]

Hoje continuamos a falar de planejamento e gestão de escritórios de arquitetura e urbanismo. Como já começamos a comentar aqui, essa série de textos é decorrente de uma pesquisa que realizamos entre 2018 e 2020 no âmbito do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAU-USP. Durante a pesquisa, entrevistamos em profundidade 7 arquitetos titulares, e levantamos dados de outros mais de 400 escritórios com confirmação de informações. Além disso, levantamos um banco de dados bruto (sem dados confirmados) de mais de 550 escritórios de arquitetura e urbanismo.

O que nos mais importa destacar nesse momento inicial de debates é a forma como os titulares enxergam seus próprios escritórios, e isso decorre, em muito, de uma cultura geral de multiplicidade de possibilidades de atuação profissional advinda de nossas raízes, desde a idealização da profissão no mundo ocidental, passando pelos discursos predominantes, formação acadêmica, imprensa especializada e órgãos de classe. Continuar lendo Da diversidade dos escritórios de arquitetura [e]

Plataforma educacional com vídeos gratuitos

Olá!

Atendendo a pedidos de alguns leitores, nossa Plataforma Educacional voltou a disponibilizar também os vídeos gratuitos de nosso canal no YouTube. Agora você volta a poder escolher onde prefere assistir aos vídeos.

Lembrando que pela nossa plataforma a exibição do vídeo não é interrompida por intervalos comerciais, mesmo para quem nunca adquiriu nenhum de nossos cursos pagos. Continuar lendo Plataforma educacional com vídeos gratuitos