A proposição de irrelevância de Modigliani e Miller


Muitos estudos já produzidos sobre o financiamento de empresas (especialmente a estrutura de capital) ganharam relevância ao introduzir novos conceitos. Um dos mais importantes certamente é a proposição de irrelevância de capital de Modigliani e Miller, de 1958. Segundo esse trabalho, as decisões de financiamento de uma determinada firma não afetariam seu valor, pois este seria decorrente das decisões de investimento. Ou seja, a criação de valor proviria de como a empresa aplica este capital e não de como o obtém. Isto significaria também a inexistência de uma estrutura ótima de capital.

Esta proposição de Modigliani e Miller, também conhecida como proposição I, é bastante convincente, e conclui que a empresa alavancada (financiada inclusive por capital de terceiros) tem o mesmo valor que aquela financiada apenas por capital próprio (por sócios e acionistas).

A principal argumentação de M&M é impressionante por sua simplicidade, e ficou conhecida como alavancagem por conta própria. A consideração é que, se a empresa alavancada (com capital de terceiros em seu passivo) tivesse preço mais elevado que a não alavancada, um investidor agindo racionalmente tomaria dinheiro emprestado para comprar ações de empresas não alavancadas.

Lembre-se que essa proposição foi construída com o pressuposto de mercados eficientes, definido da seguinte forma:

“(…) Mercados eficientes de capitais são aqueles nos quais os preços correntes de mercado refletem as informações disponíveis. Isso significa que os preços correntes de mercado refletem o valor presente dos títulos, e que não há maneira alguma de obter lucros extraordinários com o uso das informações disponíveis.”

Ross et alii. Administração Financeira. Corporate Finance. São Paulo: Atlas, 2001. p. 277.

[…]

Leia o texto completo sobre financiamento de incorporadoras brasileiras no livro Estrutura de capital de incorporadoras brasileiras: Teoria de Pecking Order (veja aqui).

Capa do livro

Esse post foi publicado em administração, Arquitetura, finanças, jobs, textos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para A proposição de irrelevância de Modigliani e Miller

  1. Pingback: A questão do trade-off para a estrutura de capital da empresa | Ricardo Trevisan

  2. Pingback: A Teoria de Pecking Order na estrutura de capital das incorporadoras brasileiras | Ricardo Trevisan

  3. Pingback: Custo de capital total (WACC) | Ricardo Trevisan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s