Machu Picchu para arquitetos: Intipunku


A vida nos coloca frente a muitos possíveis caminhos, dos quais escolhemos quais trilhar. Alguns são obrigatórios, encontros com o divino. Quem caminha é a alma. O encontro é consigo. E o homem que vai não volta, pois quem volta é outro.

A casa do guardião, início da trilha

A casa do guardião, início da trilha

Um desses caminhos parte de Machu Picchu para o Portal do Sol (Intipunku), uma caminhada de 3 horas ida e volta, mais ou menos. Altamente recomendado para qualquer ser humano. Obrigatório para arquitetos. Poderia estar num evangelho apócrifo: “o arquiteto que se aproxima daquele caminho de pedra, dele não deve se escusar, sob pena de seguir o resto de sua vida na escuridão”.

Trilha para Intipunku

Trilha para Intipunku. Machu Picchu ao fundo

A altitude é a prova a que a criação se submete e sublima, uma evolução em poucas horas para levar o oxigênio aos confins do corpo.

A trilha se afasta de Machu Picchu (na verdade era o caminho Inca de acesso a ela) por uma encosta íngreme e rochosa. Acompanhar uma montanha tão singular é como topografia transcendental. É viver a curva de nível.

Após algum tempo de caminhada, uma curva à esquerda, e passa a ser possível visualizar Machu Picchu lá embaixo. E fica clara sua localização se você o fizer num fim de tarde: é onde o sol atinge a montanha por mais tempo durante o dia, por mais dias durante o ano. No alto, mais perto do deus-sol. O sol indica o lugar, não cabe ao ser humano escolher.

Daqui se entende a implantação de Machu Picchu

Daqui se entende a implantação de Machu Picchu

No meio do caminho, ruínas do império incaico te convida a parar e contemplar a cidade perdida, o templo do sol.

No trecho final, o esforço maior, uma última provação de fé, parece não haver mais trilha em alguns pontos em que as escarpas da montanha ocultam o destino.

Chegar

Chegar

Mas persevere, pois o Intipunku vale a pena. Não dá para descrever com palavras, só com o coração.

Intipunku, o Portal do Sol

Intipunku, o Portal do Sol

Boa viagem.

Mendoza   /   Bogotá   /   Montevideo

Anúncios
Esse post foi publicado em Arquitetura, dicas, Fotografias, jobs, textos, turismo e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Machu Picchu para arquitetos: Intipunku

  1. Pingback: Bogotá para arquitetos | Ricardo Trevisan

  2. Pingback: Mendoza para arquitetos | Ricardo Trevisan

  3. Pingback: Lima para arquitetos | Ricardo Trevisan

  4. Pingback: Montevideo para arquitetos | Ricardo Trevisan

  5. Pingback: Montevideo para arquitetos (2017) | Ricardo Trevisan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s