Como calcular EBIT e NOPAT


Já falamos aqui sobre Custo de Oportunidade, mas vale a pena reforçar a ideia: é o quanto se deixou de ganhar por não aproveitar outras oportunidades disponíveis ao se decidir por determinada alternativa financeira. (ASSAF NETO, 2014:1) E essa comparação deve ser feita com alternativas de mesmo risco.
Portanto, o custo de oportunidade é a remuneração mínima exigida pelo investidor.
A necessidade de outros indicadores além do lucro contábil vem de suas limitações como medida de desempenho econômico, tais como:
  • Não incorpora o risco do negócio
  • Não inclui o custo de capital do acionista (custo de oportunidade)
  • É apurado pelo regime de competência, não equivale ao resultado disponível de caixa
  • Ignora o valor do dinheiro no tempo

Valor só é criado ao acionista quando as receitas de vendas superam todos os dispêndios incorridos, inclusive o custo de oportunidade do capital próprio. Este resultado adicional é conhecido por MVA (Market Value Added), ou goodwill. Por isso, gerar lucro contábil não é suficiente. Uma empresa pode ter lucro e estar destruindo valor ao mesmo tempo, se o custo de oportunidade não for superado (não remunera adequadamente o risco).

Nas palavras de Alexandre Assaf Neto (2014:23):
A empresa deve ser entendida, em primeiro lugar, como resultado de sua atividade atividade objeto (operacional), independentemente dos resultados de especulação financeira (não operacionais). O valor de uma empresa é mensurado a partir de seus resultados operacionais, da viabilidade de seu negócio.
Lembrando também que Resultado divide-se em duas etapas de apuração:
  • Operacional (proveniente do negócio, dos ativos do empreendimento)
  • Líquido (após a dedução de todos os gastos financeiros não identificados nos ativos, resultante também na sua estrutura de financiamento, ou estrutura de capital)
Lucro Operacional = Lucro Líquido + Despesas Financeiras
Parece simples. Mas a questão central é que existem duas formas de calcular o lucro operacional: pela legislação societária e pelo resultado ajustado.
1. Pela Legislação Societária
Receita de Vendas
(–) Custo do Produto Vendido
(=) Lucro Bruto
(–) Despesas Operacionais
(–) Despesas Financeiras
“Lucro Operacional” (da Lei)
Provisão IR/CSLL
Lucro Líquido
2. Pelo Resultado Ajustado
Receita de Vendas
(–) Custo do Produto Vendido
(=) Lucro Bruto
(–) Despesas Operacionais
Lucro Operacional antes do IR – EBIT (Earnings Before Interest and Taxes)
(–) Provisão IR/CSLL
Lucro Operacional Líquido de IR/CSLL – NOPAT (Net Operating Profit After Taxes)
(–) Despesas Financeiras
(+) Benefício Fiscal dos Juros
Lucro Líquido
Veja como a segunda opção está mais preocupada em atender ao verdadeiro significado de lucro operacional, separando o lucro gerado pelos ativos (decisões de investimento) dos gastos com juros (decisões de financiamento). É a partir dela que construiremos nossas métricas de avaliação de empreendimentos e estudos de viabilidade.
Voltaremos a elas no futuro. Acompanhe.

AvalEconRenda_capa_meia

 

Esse post foi publicado em administração, Arquitetura, dicas, finanças, jobs, textos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s