Novos limites para enquadramento no programa Minha Casa Minha Vida

Confira abaixo os novos limites de valores de imóveis (unidades habitacionais) para enquadramento no programa Minha Casa Minha Vida:

Capitais classificadas como metrópoles pelo IBGE:DF, RJ, SP: 225.000

Sul, ES e MG: 200.000

Centro-oeste, Norte e Nordeste: 180.000

Demais capitais estaduais, municípios das RM das capitais estaduais, de Campinas, da Baixada Santista e RIDE de Capital com população maior ou igual a 100 mil habitantes, capitais regionais, classificadas pelo IBGE, com população maior ou igual a 250 mil habitantes:

DF, RJ, SP: 215.000

Sul, Centro-oeste, ES e MG: 180.000

Centro-oeste, Norte e Nordeste: 170.000

Municípios com população igual ou maior que 250 mil habitantes e municípios das RM das capitais estaduais, de Campinas, da Baixada Santista e das RIDE de Capital com população menor que 100 mil habitantes e capitais regionais, classificadas pelo IBGE, com população menor que 250 mil habitantes:

DF, RJ, SP: 170.000

Sul, ES e MG: 160.000

Centro-oeste: 155.000

Norte e Nordeste: 150.000

Municípios com população maior ou igual a 50 mil habitantes e menor que 250 mil habitantes

DF, RJ, SP: 135.000

Sul, ES e MG: 130.000

Centro-oeste: 125.000

Norte e Nordeste: 120.000

Municípios com população entre 20 e 50 mil habitantes

DF, RJ, SP: 105.000

Sul, Centro-oeste, ES e MG: 100.000

Norte e Nordeste: 95.000

Demais municípios: 90.000
O teto de renda familiar é R$6.500.

Diferença entre arquiteto e engenheiro civil

Tanto o arquiteto e urbanista quanto o engenheiro civil costumam atuar em diversas áreas, mas a principal certamente é a construção civil. As formações são complementares, com grande sobreposição de disciplinas nos cursos de graduação.

Legalmente, no Brasil, o campo de atuação dos dois profissionais é muito parecido, com poucas diferenças quanto ao que é de competência exclusiva de um ou de outro profissional. Por exemplo, estruturas de pontes exigem um engenheiro civil, enquanto o traçado urbano e plano diretor de cidades exigem a atuação de um arquiteto e urbanista.
Continue lendo “Diferença entre arquiteto e engenheiro civil”

Instrumentos financeiros

Continuamos agora o assunto que iniciamos em Mercado Financeiro. Os instrumentos financeiros são os ativos negociados, basicamente divididos em:

  1. Instrumentos de dívida: o devedor assume a obrigação fixa de pagamento para o credor. Portanto, a rentabililidade não flutua (daí, renda fixa). São as debêntures, notas promissórias, etc.
  2. Instrumentos de participação: o aplicador de recursos passa a participar dos resultados do negócio financiado. Como os resultados variam (flutuam), a renda acompanha (renda variável). São as ações, opções, mercados futuros, etc.
  3. Intermediários: são as debênturescom limites de remuneração mínima (floor) e máxima (caps).

Os instrumentos são emitidos e lançados ao mercado uma única vez. Quando o aplicador adquire esses instrumentos dessa forma, trata-se de mercado primário. Daí em diante, esses mesmos instrumentos passam Continue lendo “Instrumentos financeiros”