Mercados: retorno do Carnaval

Não haverá pregão na B3, bem como liquidações no Tesouro Direto, nos dias 04 e 05/03/2019.

Retornarão na Quarta-Feira de Cinzas, dia 06/03/2019O pregão terá início às 13h, e o Tesouro Direto abrirá às 14h.

Por que devo ficar com o título do tesouro até o vencimento?

O tesouro direto é um dos investimentos mais seguros hoje no Brasil. Em outros países isso significaria baixo rendimento (ou até negativo). Mas aqui, por uma série de idiossincrasias de nossas políticas econômica e fiscal, é também um investimento de retorno interessante mesmo para riscos maiores.

Porém, o retorno só é garantido para a data do vencimento do título. Antes disso, uma eventual venda seria feita em mercado secundário, precificada por marcação a mercado. Portanto, antes do vencimento, tudo pode acontecer, e este título se comporta como renda variável. Continuar lendo

Proteja seu dinheiro (5/ago/16)

Muita coisa aconteceu desde nossa última edição desta coluna, então vamos para a revisão geral: Continuar lendo

Proteja seu dinheiro: enquanto aguardamos pelo novo Brasil…

Obviamente estamos num momento de transição que extrapola a esfera política nacional. E será uma transição lenta, ao que as insistências irracionais indicam… Mas não é necessariamente um momento ruim para o investidor. Ainda somos o último peru com farofa do mundo (prestes a deixar de sê-lo), para citar o professor Delfim.

Enquanto aguardamos pelo novo Brasil que, tímido, começa a aparecer aqui e ali, ainda temos uma taxa Selic meta de 14,25% ao ano em títulos de Tesouro Direto acessíveis a qualquer um (com menos de 30 reais você entra na farra). E a reboque vem toda a enorme família italiana do CDI. O risco? Claro, os CDS estão gritando a bagunça fiscal que esse pedaço da América do Sul virou, mas a moratória que vem em nossa direção ainda se confunde com a luz no fim do túnel. Dá tempo de ganhar e sair.

E sair para onde?

Ora, já passamos por situações caricatas nesta terra no passado, estamos apenas mantendo nossa tradição. E recomendo que você olhe como foi o comportamento da Continuar lendo

Renda fixa volátil 

O Tesouro Direto deve ser hoje a renda fixa com maior volatilidade no mercado secundário do Brasil. Os títulos, marcados a mercado, estão flutuando tanto que as negociações estão sendo interrompidas com frequência.

Investimento conservador com circuit break: mais uma idiossincrasia nacional.

Pensando melhor… Nem tão conservador assim, se olharmos para o risco crescente de calote brasileiro, segundo mede a negociação de CDS para o prêmio por este risco…

Proteja seu dinheiro: panorama geral – 4 jun 2014

Poupança: nova ou velha, faz tempo que essa aplicação perde para a inflação. Fuja dela. Sem falar na baixa liquidez (retornos são mensais, não diários), risco elevado (é o mesmo do banco) e na baixa garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

CDB: a Selic em elevação melhorou seu desempenho, mas observe sempre o percentual do CDI obtido e lembre-se que há incidência de IR. A última reunião do Copom estabilizou a meta Selic em 11% a.a. Se a Selic começar a cair, o rendimento de aplicações atreladas ao CDI cai junto, acompanhe.

Bolsa: o mercado deixou bem claro as regras do jogo nas últimas semanas: será balizado pelas eleições. Se você acredita que Continuar lendo

Proteja seu dinheiro – 16.out.13

Atenção: as informações aqui apresentadas traduzem a visão pessoal do autor, e não possuem nenhuma forma de garantia de retorno ou rentabilidade.

Governo americano aos 44 do segundo tempo para fechar o acordo do teto da dívida. Pouca gente acredita que o acordo não saia até o apito final, mas as apostas em calote em maior prazo começam a aumentar. Fitch já sinaliza possível rebaixamento da nota dos EUA.

Tesouro Direto: fundos de pensão reduziram participação em títulos atrelados à inflação (NTN-B), mas continuam mantendo um bom percentual em carteira. Eles erram pouco. Passaram a comprar mais Continuar lendo