De quê o governo tem medo?

Photo by Reynaldo #brigworkz Brigantty from Pexels

Quando Paul Volcker emplacou com sucesso a cartilha do controle monetário no Fed, no início da década de 1980, estabeleceu um novo padrão mundial de responsabilidade fiscal e monetária. Estímulos monetários sem limites à economia, como, por exemplo, a emissão monetária pulverizada que levou à crise do Encilhamento brasileiro (1889-1891), foram riscados da caixa de ferramentas dos governos centrais em todo o planeta.

A consequência disso é que os tesouros nacionais se utilizam atualmente da negociação de títulos públicos em mercado aberto (open market) para diversas finalidades. As duas principais são: Continuar lendo De quê o governo tem medo?

Por que a inflação voltou?

Inflação é um bichinho esquisito, que se alimenta dele mesmo. E não é uma coisa só. A inflação brasileira, por tradição, nasce de desajustes monetários e fiscais do governo. Depois ganha uns impulsos quando nossa moeda se desvaloriza (inflação cambial), quando os custos de insumos básicos sobem por queda na oferta (inflação de custos). Além disso, muitos ofertantes precisam decidir preços com antecedência, e projetam o cenário futuro a partir do histórico disponível. Em outras palavras, se os preços vinham subindo, a formação de preços considera que continuarão subindo no próximo período, e ajusta seus preços para cima. E este movimento dá novo impulso à inflação e a torna permanente (inflação inercial). O governo deve, para evitar que tudo isso comece, controlar rigorosamente seus gastos e suas emissões monetárias. Quanto mais moeda há na economia, mais inflação aparece. É por isso que o Plano Real só deu certo e se consolidou com a Lei de Responsabilidade Fiscal em vigor.

Mas, nos últimos anos, nosso governo deixou de lado estas premissas, relaxou o controle monetário e fiscal e “maquiou” sua própria contabilidade para cumprir com suas metas fiscais “oficiais”, enquanto inundava o mercado com mais moeda em busca de crescimento econômico. O Brasil cresce muito pouco atualmente, perde para quase todos os países da América do Sul (Peru e Colômbia ganham de goleada de nós) e perde para os demais BRICS. Algumas vezes, o que freia o crescimento de um país é falta de moeda, e a solução é colocar mais moeda no mercado. Não foi o nosso caso. Mesmo com mais moeda em circulação, a economia não andou. E a inflação apareceu, ameaçando trazer ao Brasil um dos piores cenários econômicos possíveis, a estagflação (estagnação econômica + inflação).

Continuar lendo Por que a inflação voltou?